All for Joomla All for Webmasters

Antônio Carlos

  • A um ano das eleições, corrida pela Prefeitura de Ribeirão das Neves tem mais de 10 nomes


    Faltando um ano para as eleições municipais de 2020, crescem as especulações de concorrentes à Prefeitura de Ribeirão das Neves. O RibeiraoDasNeves.net fez um levantamento e constatou que existem uma porção de nomes pleiteando a cadeira de chefe do Poder Executivo Municipal na próxima legislatura.

    A eleição promete ser bastante acirrada e repleta de variáveis que podem mudar o cenário. Uma delas é a realização do recadastramento biométrico do eleitorado, o que pode vir a reduzir o número de eleitores, que já estava na casa de 205 mil e, portanto, com possibilidade de realização de 2º turno.

    Alguns partidos importantes, como PSL do presidente Jair Bolsonaro, o Novo do governador Romeu Zema, e o PT, ainda não têm nomes para a disputa. PSL e Novo devem ficar de fora da disputa, enquanto o PT ainda é uma incógnita.  

    Veja os principais nomes que se colocam na disputa:

    Junynho Martins (PSC)

    Atual prefeito, Junynho Martins já admitiu publicamente que é candidato à reeleição e deve colocar o trabalho que vem desenvolvendo na cidade à prova nas urnas. Junynho tem apostado no programa Asfalto Novo e na fragmentação da oposição para ser reconduzido a mais um mandato.

    Antônio Carlos (DEM)

    O cantor e empresário Antônio Carlos, que era nome certo na disputa devido às expressivas votações para prefeito em 2016 e deputado federal em 2018, terá dificuldades de se viabilizar por conta de um processo da Justiça Eleitoral que pede sua inexigibilidade.

    Vanderlei Delei (PTC)

    O vereador de terceiro mandato tem dado sinais de que pretende se posicionar em oposição ao prefeito Junynho Martins e arregimentar o apoio dos colegas parlamentares para construir uma eventual candidatura.

    Gracirlei Gomes (sem partido)

    O empresário Gracirlei Gomes têm se movimentado nos últimos meses para construir uma candidatura de oposição ao atual grupo político que comanda a cidade. Morador da região do Maria Helena, defende que Justinópolis, por abrigar mais da metade da população, eleja um prefeito para dar protagonismo ao distrito.

    Dr. Getúlio (PC do B)

    Depois de ter disputado três eleições para prefeito no início dos anos 2.000, o médico está voltando ao município e pretende ser o representante do campo progressista na corrida pela Prefeitura no ano que vem.

    Washington Modesto (PRTB)

    Filho do ex-prefeito Washington Modesto, é policial militar e tem articulado junto a empresários nevenses a construção de uma candidatura em oposição ao atual chefe do Executivo. Conta com apoio do vice-presidente da República, General Mourão, e do deputado estadual Sargento Rodrigues.

    Cabo Robinho (PMN)

    Na esteira da onda conservadora que marcou a eleição presidencial, o policial militar tenta se viabilizar como pré-candidato na mesma linha de atuação do presidente Jair Bolsonaro, defendendo inclusive a instalação de uma escola cívico-militar em Ribeirão das Neves.

    Carlos Eugênio (sem partido)

    Vice diretor da E.E. José Bonifácio Nogueira, morador do Pedra Branca há 30 anos, atuou nas escolas do Maria da Glória, no Santinho, e Pedro de Alcântara Nogueira, no São Pedro, nos últimos 20 anos. Presidente da Liga das Escolas de Samba de Minas Gerais (LIAC), tem dito que gestão é feita com o servidor de carreira e com menor número de cargos comissionados possíveis.  

    Toco Menezes (sem partido)

    Depois de hesitar por várias vezes em se lançar candidato, o empresário do ramo de bares e restaurantes articula junto a possíveis apoiadores da região de Justinópolis uma candidatura ao Executivo nevense.

    Coronel Bianchini (Avante)

    Ex-comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais, professor de Direito e integrante do Movimento Renova BR, Coronel Bianchini é especialista em Segurança Pública. Morador do condomínio Nossa Fazenda, em Esmeraldas, tenta emplacar o nome em Ribeirão das Neves após ter sido candidato a deputado federal pelo PRB em 2018.  

    Joel Lucas (PSDB)

    Figura muito ligada ao ex-governador Aécio Neves, Joel fomenta há muito tempo o sonho de ser candidato a prefeito em Ribeirão das Neves e tenta buscar a unidade no ninho tucano para tentar viabilizar uma candidatura.

    Deborah Rubiana (Solidariedade)

    Assessora do deputado Wendel Mesquita, Deborah tem formação em gestão pública e atualmente é presidente do Solidariedade em Ribeirão das Neves e vem tendo o nome colocado como postulante ao posto de pré-candidata pelo partido.

     

    Atenção: este é um levantamento realizado com base na movimentação política de algumas lideranças da cidade e pode, eventualmente, ter deixado algum pretenso candidato de fora.

    Readmore
  • Antônio Carlos tem 26% das intenções de voto e Junynho Martins 22%, diz 'Instituto Nexus'


    Readmore
  • Antônio Carlos, Junynho Martins e Irani Barbosa são confirmados candidatos à Prefeitura


    Readmore
  • Corte Eleitoral livra prefeito Junynho Martins de cassação e aplica multa de R$ 2 mil


    O processo de investigação eleitoral por abuso de poder econômico e de poder político que corria contra a chapa vencedora na eleição de 2016 em Ribeirão das Neves se encerrou nesta quarta-feira (31). Por 4 votos a 3, Corte Eleitoral deu parcial provimento ao recurso impetrado pela coligação encabeçada pelo candidato Antônio Carlos (PSS) e aplicou multa de R$ 2 mil ao prefeito Junynho Martins (PSC).

    A denúncia pedia a cassação de Junynho e do vice Vitório Junior (PDT) por terem supostamente distribuído gratuitamente jornais pagos durante a campanha eleitoral.

    No fim de dezembro de 2017, os desembargadores do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) iniciaram a votação do mérito da ação e cinco dos sete magistrados votaram pela rejeição do processo de cassação da chapa vencedora, mas com aplicação da multa. No entanto, um pedido de vistas adiou o fechamento do caso para janeiro de 2018.

    A ação já havia sido analisada em 1ª instância, onde a Juíza Eleitoral proferiu sentença julgando improcedente o pedido apresentado e encaminhou o recurso impetrado pela parte recorrente ao TRE-MG.

    Até o momento, a Prefeitura de Ribeirão das Neves não se manifestou sobre o assunto.

    Readmore
  • Junynho Martins é eleito prefeito de Ribeirão das Neves com quase 60% dos votos


    O professor e ex-vereador Junynho Martins (PSC) foi eleito prefeito de Ribeirão das Neves neste domingo (2), de acordo com números publicados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com 100% das urnas apuradas às 20h19, ele teve 68.656 mil votos, o equivalente a 58,47%.

    O cantor e empresário Antônio Carlos (PPS) teve 39.167 dos votos (33,36%) e a prefeita Daniela Corrêa (PT) teve 9.601 (8,18%). A votação recebida pelo ex-deputado Irani Barbosa (PMDB) não foi considerada válida para o candidato, pois ele ainda está inelegível, segundo TSE.

    Do total de 160.709 eleitores que foram às urnas, 13.770 votaram em branco (8,57%) e 29.515 nulo (18,37%) para prefeito, e 12.252 votaram em branco (7,62%) e 13.086 nulo (8,14%) para vereador. O total de abstenção foi de 35.454 eleitores (18,06%).

    Moacir Martins da costa Júnior, o Junynho Martins, nasceu em 4 de maio de 1976 em Ribeirão das Neves. Professor de história e gestor público, ele ficou conhecido por promover eventos na cidade e posteriormente por ser executivo da Câmara de Dirigentes Logistas (CDL).

    Na política, Junynho elegeu-se vereador em sua segunda tentativa, em 2008, e chegou a ocupar a presidência durante a legislatura. Em 2012, compôs como vice a chapa de Gláucia Brandão (PSDB) que tentou, sem sucesso, chegar ao comando do executivo. Em 2014, candidatou-se a deputado estadual e ficou na suplência do partido.

    Desde a primeira parcial da apuração dos votos, feita às 17h40, Junynho liderou a disputa partindo com mais de 60% dos votos. O prefeito eleito será diplomado até o fim do ano e assume o Executivo a partir de 1º de janeiro de 2017.

     

    Readmore
  • Nova pesquisa do 'Instituto Ver' amplia vantagem de Junynho Martins (PSC) pela Prefeitura


    Readmore
  • Pouco conhecida, Andreia de Jesus é a única deputada eleita por Ribeirão das Neves


    Ribeirão das Neves tem agora uma representante na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Trata-se de Andreia de Jesus, do PSOL, com forte apoio da companheira de partido Aurea Carolina, que foi a vereadora mais votada de Belo Horizonte e acaba de se eleger deputada federal.

    Andréia mora no bairro Rosaneves, em Ribeirão das Neves, e atua como advogada popular. Foi assessora parlamentar da #Gabinetona, Presidenta da Comissão de Igualdade Racial OAB seccional Neves, Conselheira Municipal do SUAS, da Igualdade Racial, do idoso e da mulher.

    Sem sucesso

    Entre os demais candidatos a deputado estadual, Vanderlei Delei (PTC) e Gláucia Brandão (PSC) tiveram cerca de 13 mil votos cada e não obtiveram êxito. Candidato a deputado federal, o cantor e empresário Antonio Carlos (DEM) obteve expressivos quase 30 mil votos, mas também não conseguiu se eleger.

    Readmore
  • TRE-MG condena cantor Antônio Carlos por campanha irregular na disputa pela Prefeitura


    O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) condenou, nessa quarta-feira (24), o cantor Antônio Carlos (PPS) por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social durante a campanha à Prefeitura em 2016. O tribunal entendeu, por quatro votos a três, que houve a alegada campanha irregular.

    De acordo com a denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE), Antônio Carlos e seu candidato a vice, Braúna, com o apoio de Anderson Abelha, responsável pelo jornal Espaço Notícias, teriam feito uso indevido do periódico, veiculando notícias em várias edições do referido jornal, com o claro fim de colocarem suas imagens em evidência na disputa eleitoral.

    Segundo o MPE, o diretor-geral do jornal, Anderson Abelha, seria irmão de um dos coordenadores da campanha de Antônio Carlos e "estaria agindo com o intuito de incutir nos eleitores a ideia de que Antônio Carlos e Braúna seriam os melhores candidatos aos cargos que pleiteavam".

    O Ministério Público Eleitoral também alega que Antônio Carlos teria praticado abuso do poder econômico ao realizar ampla exposição de sua imagem com a colocação de outdoors e distribuição de panfletos pela cidade de Ribeirão das Neves em período pré-eleitoral, bem como realizando "post pagos" em rede social e várias apresentações musicais no referido município".

    A ação não foi acolhida em primeira instância pelo juiz eleitoral de Ribeirão das Neves, mas o Ministério Público recorreu para o TRE-MG.

    De acordo com o TRE-MG, sobre a decisão, ainda cabe recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília. Se a decisão da corte eleitoral mineira for mantida, Antônio Carlos e Anderson Abelha não poderão concorrer a cargos públicos entre 2016 e 2024 - o vice Braúna não foi condenado.

    O que diz a parte?

    A reportagem conversou com o advogado de Antônio Carlos, Diego Araújo de Lima, que disse não entender a inelegibilidade. "O acórdão ainda não saiu. O meu entendimento é que ele não está inelegível sem ter uma decisão publicada. Nós vamos esperar a publicação e, se for o caso, a gente vai recorrer e a chance (de reversão) é grande", avaliou.

    Readmore
  • TRE-MG julga ação de cassação de Junynho Martins; placar atual mantém prefeito no cargo


    O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) está julgando uma ação de investigação eleitoral por abuso de poder econômico e de poder político contra a chapa vencedora nas eleições de 2016 em Ribeirão das Neves. A denúncia, feita pela coligação encabeçada pelo candidato Antônio Carlos (PPS), pede a cassação do prefeito Junynho Martins (PSC) e do vice Vitório Junior (PDT) por terem supostamente distribuído gratuitamente jornais pagos durante a campanha eleitoral.

    A ação já havia sido analisada em 1ª instância, onde a Juíza Eleitoral proferiu sentença julgando improcedente o pedido apresentado e encaminhou o recurso impetrado pela parte recorrente ao TRE-MG. O recurso entrou em julgamento na 2ª instância no dia 7 de dezembro, quando os desembargadores do tribunal começaram a discutir se o tipo de ação impetrada pela coligação adversária foi a adequada para o caso. Porém, um pedido de vistas de um dos magistrados postergou a análise.

    Nessa segunda-feira (18), o processo voltou à pauta no TRE-MG e foi, enfim, admitido pelo plenário da corte. Os desembargadores iniciaram a votação do mérito da ação e cinco dos sete magistrados votaram pela rejeição do processo de cassação da chapa vencedora, mas com aplicação de multa de R$ 2 mil a cada um dos recorridos: Junynho Martins, Vitório Junior e o atual secretário municipal de Educação, Fabiano Diniz. No entanto, um novo pedido de vistas adiou o fechamento do caso para 26 de janeiro de 2018, uma vez que um dos desembargadores votantes não estava presente à sessão.

    Dessa forma, a menos que haja uma mudança drástica nos votos dos desembargadores - o que é difícil - a tendência é que a chapa vencedora seja condenada apenas a pagar a multa, afastando a possibilidade de uma cassação do prefeito e do vice. Caso essa hipótese ocorresse, o presidente da Câmara Municipal assumiria o cargo por até 6 meses, prazo para que o TRE-MG convoque novas eleições.

    Readmore
  • TSE nega recurso do cantor Antônio Carlos e mantém condenação por campanha irregular em 2016


    O ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou, na última segunda-feira (11) um agravo de instrumento interposto pelo cantor e empresário Antônio Carlos contra condenação por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social durante a campanha à Prefeitura em 2016.

    O processo foi instaurado a partir de denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE). Segundo o órgão, Antônio Carlos e seu candidato a vice, Braúna, com o apoio de Anderson Abelha, responsável pelo jornal Espaço Notícias, teriam feito uso indevido do periódico, veiculando notícias em várias edições do referido jornal, com o claro fim de colocarem suas imagens em evidência na disputa eleitoral.

    Segundo o MPE, o diretor-geral do jornal, Anderson Abelha, seria irmão de um dos coordenadores da campanha de Antônio Carlos e "estaria agindo com o intuito de incutir nos eleitores a ideia de que Antônio Carlos e Braúna seriam os melhores candidatos aos cargos que pleiteavam".

    O Ministério Público Eleitoral também alega que Antônio Carlos teria praticado abuso do poder econômico ao realizar ampla exposição de sua imagem com a colocação de outdoors e distribuição de panfletos pela cidade de Ribeirão das Neves em período pré-eleitoral, bem como realizando "post pagos" em rede social e várias apresentações musicais no referido município".

    A ação não foi acolhida em primeira instância pelo juiz eleitoral de Ribeirão das Neves, mas o Ministério Público Eleitoral recorreu ao TRE-MG, que por maioria deu provimento ao recurso para julgar parcialmente procedente a ação, declarando a inelegibilidade de Antônio Carlos e Anderson Abelha por 8 (oito) anos. O vice Braúna não foi condenado. A decisão de inelegibilidade, no entanto, ainda não possui efeitos e nem é definitiva, tendo em vista a possibilidade de as partes entrarem com novos recursos nos tribunais.

    O Agravo de Instumento está disponível para consulta no acompanhamento processual do Tribunal Superior Eleitoral sob o nº 0000648-67.2016.6.13.0286.

    O que diz Antônio Carlos?

    Em contato com a reportagem, o cantor e empresário afirmou que a decisão ainda é o mesma do parecer do TRE-MG, e que o mérito do recurso ainda não foi julgado. "Contratei uma nova advogada que vai entrar nesse processo. O problema é que meu antigo advogado não compareceu à audiência. O meu processo anda rápido, o de outros não andam tão rápido assim", ironizou.

    Antônio Carlos prometeu ainda fazer uma transmissão ao vivo pelas redes sociais nesta sexta-feira (15), às 21h, para comentar o processo e outros assuntos sobre a cidade.

    Readmore
  • Veja como foi o desempenho dos candidatos a deputado em Ribeirão das Neves


    Passado o 1º turno da eleição, é hora de avaliar o desempenho dos candidatos cujas propostas eram de representar Ribeirão das Neves na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e na Câmara Federal. De todos os postulantes, apenas Andreia de Jesus (PSOL), conseguiu se eleger a deputada estadual.

    Dos 202.834 eleitores nevenses, o comparecimentos às urnas foi de 80,89% (164.077), contra 19,11% de abstenção (38.757). Para deputado estadual, foram 130.338 votos válidos, sendo 12.433 deles votos de legenda. Para federal, foram 128.295 votos válidos, sendo 9.490 de legenda.

    Deputado Estadual

    No pleito pela ALMG, quem mais conseguiu votos na cidade foi Vanderlei Delei (PTC), com 11.814, 86% dos 13.625 votos obtidos por ele. Gláucia Brandão (PSC) obteve em Neves apenas 6.481 votos, metade dos 13.120 alcançados em todo o Estado. Luiz Bitarães (DEM) obteve 1.864 votos aqui (2.453 no total), enquanto Dra. Junia Nacur (PRTB) apenas 692 (1.470 no total). A eleita Andreia de Jesus, conseguiu apenas 451 votos dos nevenses, dentre os 17.689 obtidos por ela no total.

    Entre os candidatos de fora eleitos, os 10 mais votados na cidade foram Mauro Tramonte (PRB), com 32.774 votos; Carlos Henrique (PRB), 3.923 votos; Leandro Genaro (PSD), 3.827; João Vitor Xavier (PSDB), 2.156; Léo Portela (PR), 1.801; Sargento Rodrigues (PTB), 1.673; Mário Henrique Caixa (PV), 1.586; Marília Campos (PT), 1.583; Bruno Engler (PSL), 1.231; e André Quintão (PT), 1.203.

    Deputado Federal

    Concorrendo a uma vaga em Brasília, o único candidato competitivo da cidade era o cantor e empresário Antônio Carlos (DEM), que conseguiu 20.360 em terras nevenses, 68% dos 29.849 obtidos em toda Minas Gerais. O professor Adilson Puma (AVA) conseguiu em Neves 1.675 (87%) dos 1.920 totais.

    Dentre os "forasteiros" vencedores, os 10 mais votados na cidade foram Pinheirinho (PP), com 7.115 votos; Gilberto Abramo (PRB), 4.834; Stefano Aguiar (PSD), 4.620; Weliton Prado (PROS), 4.018; Lincoln Portela (PR), 2.911; Patrus Ananias (PT), 2.692; Marcelo Alvaro Antonio (PSL), 2.539; Cabo Junio Amaral (PSL), 2.289; Lafayette Andrada (PRB), 1.994; e Eros Biondini (PROS), 1.960.

    Readmore
  • Veja os principais candidatos a deputado estadual e federal em Ribeirão das Neves


    Terminado o prazo para registro das candidaturas nessa quinta-feira (15), o eleitor nevense finalmente conhece as opções caseiras de votar para candidato a deputado estadual e federal nas eleições de outubro. Mais de 200 mil eleitores estão aptos a votar nas duas zonas eleitorais da cidade.

    Para uma vaga na Assembleita Legislativa de Minas Gerais (ALMG), as principais candidaturas são da ex-deputada Gláucia Brandão (PSC), o vereador Vanderlei Delei (PTC), a médica Junia Nacur (PRTB) e o empresário Clodoaldo César (Pode). Também estão na disputa nomes como Tia Zeni (PPL), Luis Bitarães (DEM) e Ronildo Gonçalves, o Téia (DEM).

    Na corrida por uma vaga à Câmara dos Deputados, em Brasília, o principal nome interno é o do cantor Antônio Carlos (DEM), que obteve cerca de 40 mil votos na última eleição municipal. Ele vai concorrer à preferência do eleitorado nevense, especialmente, com o candidato do prefeito Junynho Martins na cidade, o ex-prefeito de Ibirité, Pinheirinho (PP).

    Propaganda eleitoral

    A partir desta quinta-feira (16) começa oficialmente a propaganda eleitoral. Pela legislação, as regras são rígidas e claras - exigem menos barulho e obediência a horários e normas. A propaganda eleitoral na internet é permitida desde que não seja paga.

    Os partidos e as coligações só poderão utilizar alto-falantes ou amplificadores de som, nas suas sedes ou em veículos, das 8h às 22 horas. O horário para o uso de aparelhagem de sonorização fixa é mais flexível das 8h à meia-noite, podendo ser prorrogado por mais duas horas quando se tratar de comício de encerramento de campanha.

    Até 6 de outubro, os partidos e coligações poderão distribuir material gráfico, promover caminhada, carreata, passeata ou utilizar carro de som pelas ruas para divulgar jingles e mensagens de candidatos.

    Um dia antes, em 5 de outubro, será permitida a divulgação paga, na imprensa escrita, e a reprodução, na internet, do jornal impresso, de até dez anúncios de propaganda eleitoral, por veículo, em datas diversas, para cada candidato, no espaço máximo, por edição, de 1/8 (um oitavo) de página de jornal padrão e de 1/4 (um quarto) de página de revista ou tabloide.

    Readmore

Casos em acompanhamento: 2.341

Casos descartados: 438

Casos confirmados: 61

Óbitos confirmados p/ Covid-19: 1

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de
Ribeirão das Neves 
Última atualização: 26/05/2020