All for Joomla All for Webmasters

Ribeirão das Neves e o meio ambiente – O problemão do lixo em Neves

Parte III

O destino dos resíduos sólidos é um dos mais sérios problemas ambientais enfrentados em Ribeirão das Neves. O lixo da cidade é depositado em um aterro controlado desde o ano de 2001, quando então utilizava-se o “lixão”, sem atendimento a nenhuma técnica operacional de engenharia e sem os cuidados sanitários e ambientais pertinentes, fazendo com que área fosse submetida a impactos negativos.  Esse aterro fica às margens da Rodovia LMG-806, oferecendo riscos para os que trafegam na rodovia diariamente, apresentando condições ambientais fora do padrão, considerando aspectos relativos à poluição do solo, do ar e da água, além de impactos visuais e potenciais danos à saúde humana por estar bem próximo a residências, dos bairros Viena e Felixlândia. Recentemente, houve uma grande discussão sobre a implantação de um Aterro Sanitário que receberia lixo de 43 cidades da região metropolitana em território nevense. No entanto, apesar da aprovação do legislativo municipal, a pressão social conseguiu revogar o projeto.

O aterro do bairro Viena tem funcionado com o prazo de validade vencido, com isso a Prefeitura anunciou nos últimos dias, o encerramento das suas atividades e a contratação de novo aterro para recebimento dos rejeitos sólidos produzidos em Ribeirão das Neves, que serão transportados para um aterro em Sabará, administrado por uma empresa gerando gastos públicos de R$ 495 mil por mês, quase R$ 6 milhões ao ano – alternativa cara para uma cidade com a receita como a de Ribeirão das Neves. Para o aterro, pós desativação, está previsto um Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD), necessário para manutenção da estabilidade da região.

Outro ponto que merece grande atenção se relaciona com a degradação das águas pelo lançamento de lixo, esgotos e outros poluentes como o lixo agroindustrial, em grande escala, nas nascentes, córregos e rios da cidade.

Sobre os serviços de limpeza urbana, pode-se afirmar que não atendem com qualidade a toda a população em Neves. A coleta regular do lixo domiciliar é prejudicada, principalmente, pela impossibilidade do trânsito de veículos em muitas ruas, devido à falta de pavimentação, ou ainda, naquelas que têm pavimento, por não possuírem dispositivos de drenagem pluvial, que estão sempre esburacadas; situação que se agrava na temporada de chuvas, em que a dificuldade de circulação se agrava. A falta de regularidade da prestação do serviço de coleta induz as pessoas a jogarem lixo em terrenos baldios, em córregos, ruas, esquinas. O serviço de coleta de entulhos, varrição e capina das ruas também atende de forma precária a cidade, além de ser concentrado nas regiões centrais e principais vias. É recorrente o mato alto em logradouros públicos, pois grande parte das ruas do município não possui calçamento.A questão do lixo está ligada a condição de degradação socioambiental, favorecendo a desordem e condições para proliferação de doenças como a dengue, assim como a desvalorização das áreas e perda da qualidade de vida – prejuízos para a cidade de Ribeirão das Neves.

Com isso tudo, fica clara a necessidade de políticas públicas para o meio ambiente nevense, que deem conta do problema do local de depósito do lixo, de maneira sustentável ambiental e economicamente falando, assim como outras medidas importantes para o tratamento do lixo como implantação da coleta seletiva e recuperação de nascentes, proteção de zonas ambientais com potencial turístico e o fortalecimento de cooperativas e associações de reciclagem.

 

0
0
0
s2smodern

Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões neles emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do RibeiraoDasNeves.net.

Casos em acompanhamento: 2.405

Casos descartados: 473

Casos confirmados: 76

Óbitos confirmados p/ Covid-19: 1

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde de
Ribeirão das Neves 
Última atualização: 26/05/2020

bg contorno